Páginas

terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Base "aliada" já ameaça trair o Judas Temer


Agência Senado
Com o agravamento da crise econômica e a queda de popularidade do usurpador, cresceram os boatos sobre as prováveis traições na “base aliada”.  Com o agravamento da crise econômica e a queda de popularidade do usurpador, cresceram os boatos sobre as prováveis traições na “base aliada”.  
No PSDB, Michel Temer é tratado como “pinguela” – rotulado dado pelo ex-presidente FHC, que irrita o atual ocupante do Palácio do Planalto. No DEM, o senador Ronaldo Caiado já propôs a renúncia do Judas e a convocação de novas eleições presidenciais. Nos outros partidos governistas o clima também é de abandono do barco à deriva.

PSB prepara o desembarque

Na semana passada, o governador de Pernambuco, Paulo Câmara, do pragmático PSB, escancarou as críticas ao covil golpista. “Eu esperava mais do governo. Esperava que Temer conseguisse fazer um governo de união nacional mais ampla”, afirmou em entrevista à “Rádio Jornal”, de Recife. “Evidentemente que ele precisava aprovar medidas importantes, mas é preciso ampliar o leque de discussões junto à sociedade civil. Ele precisa fazer aquilo que disse que iria fazer: um governo de união nacional”. Santa ingenuidade ou puro senso de oportunidade? A entrevista de Paulo Câmara, que é vice-presidente do PSB, foi encarada como um sinal de que o sigla está prestes a deixar a base do Judas.

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Das ocupações à CPI da Merenda: o ano em que as lições de resistência vieram da escola

Estudantes chegaram a ocupar 1.197 escolas em 21 estados. “Toda a nossa resistência vai nos render frutos”, diz presidenta da União Brasileira de Estudantes Secundaristas

Estudantes

São Paulo – As medidas anunciadas pelo presidente Michel Temer para a educação desagradaram alunos, pais, professores e especialistas na área e a resposta veio na mesma proporção: 2016 foi o ano da maior mobilização estudantil da história do país. No auge do movimento, na última semana de outubro, estudantes chagaram a ocupar 1.197 escolas e universidades em 21 estados contra a reforma do ensino médio (Medida Provisória 746), o projeto Escola Sem Partido e o congelamento de recursos públicos para investimentos sociais, inclusive na educação (Emenda Constitucional 95).
"Fizemos uma alusão com os caras-pintadas (movimento estudantil de 1992 pelo impeachment do então presidente Fernando Collor de Mello), que também foi grande, mas essa é a maior mobilização estudantil que já ocorreu no Brasil", disse na época a presidenta da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes), Camila Lanes. "Fazemos um balanço muito positivo. Toda a nossa resistência vai nos render frutos, até derrotarmos a Medida Provisória (746). Ela reverbera para além dos muros das escolas e chega às pessoas que não compreendiam nossa real pauta."

Desaprovado por 92%, governo Temer ganha o troféu de pior da história



Aprovado por apenas 8% da população, o governo de Michel Temer, que assumiu a presidência da República após o impeachment, sem crime de responsabilidade, da presidenta Dilma Rousseff,  ganha o troféu de pior gestão da história, é o que indica a pesquisa Vox Populi, realizada entre os dias 10 e 14 de dezembro.

E vai além, o levantamento aponta que a avaliação negativa de Temer subiu de 34% para 55% entre outubro e dezembro. No Nordeste, 67% rejeitam Temer, enquanto a aprovação ao peemedebista atingiu míseros 4%.
O instituto também consultou a população sobre as medidas adotadas por esta gestão e apurou que mais de 80% dos brasileiros rejeitam as medidas econômicas apresentadas, como a reforma da Previdência (rejeitada por 87% da população) e a PEC 55, que congela os gastos públicos por 20 anos (78%).
Para 70%, com Temer o desemprego vai aumentar. Para 49%, o combate à corrupção vai piorar com o atual governo. O Brasil em geral vai piorar para 55% dos brasileiros – no Nordeste, o índice dos que não têm esperança de melhora de vida pula para 71%.

sábado, 17 de dezembro de 2016

Movimentos populares ampliam campanha por ‘Diretas Já’

Várias categorias no campo e na cidade aumentaram suas mobilizações e lutas nacionais - Créditos: Mídia Ninja

Em pouco mais de seis meses, o governo de Michel Temer, surgido de um golpe parlamentar contra Dilma Rousseff, está ensopado por denúncias de corrupção e em meio a um cenário de piora da crise econômica no país. O número de trabalhadores desempregados deve pular dos atuais 12% para 14% em 2017. Somente a indústria paulista prevê a demissão de 150 mil pessoas no próximo ano. E a economia não dá sinais de reação, com o Produto Interno Bruto (PIB) amargando a quarta queda consecutiva no ano e com poucas perspectivas de crescimento no futuro.
Como resposta a esse ambiente, o governo tenta aprovar medidas do chamado “ajuste fiscal” que mexem na garantia de direitos sociais e podem comprometer as condições de vida da população, especialmente a parcela mais pobre. Com a aprovação definitiva da PEC nº 55, nesta quinta-feira (15), o orçamento da saúde, educação, saneamento, transporte e todos os outros serviços públicos ficará congelado pelos próximos 20 anos. Agora, a bola da vez é a reforma da previdência que, se for aprovada do jeito que está, vai obrigar as pessoas a trabalharem por 49 anos para receberem a aposentadoria integral, além de impor uma idade mínima de 65 anos para o recebimento do benefício e estabelecer regras para inviabilizar a aposentadoria dos trabalhadores rurais.

O golpe quer um Brasil sem passado e sem futuro



Para que o golpe triunfasse, foi preciso que seus meios de comunicação conseguissem, pelo menos por um momento, apagar da memória dos brasileiros, seu passado recente. Foi preciso forjar na cabeça dos brasileiros a ideia de que o problema principal do país é o da corrupção e, em particular, da corrupção do PT.

Quando a Dilma foi reeleita, no final de 2014, 74% dos pesquisados pelo Vox Populi reconheciam que sua vida tinha melhorado desde 2003. No momento da votação do golpe na Câmara, naquele domingo vergonhoso pro Parlamento e pro país, essa cifra diminuído para a metade. Isto é, a brutal campanha da mídia tinha conseguido apagar da mente das pessoas tudo o que sua vida tinha melhorado e colocar no lugar a corrupção e os gastos estatais, uma espécie da ressaca de uma farra que o país não poderia se permitir.

Sem apagar da memória das pessoas como sua vida tinha melhorado substancialmente desde 2003, era impossível fazer do governo da Dilma a responsável por todos os males do país e preparar o clima para derrubá-lo. Predominou a teoria dos que comandam a Lava Jato, de que tudo o que aconteceu no Brasil desde 2003 foi uma farsa, promovida pela corrupção do PT a partir das empresas públicas.

quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Democracia brasileira perde um de seus maiores defensores com morte de Dom Paulo Evaristo Arns

Um dos maiores símbolos da resistência democrática do Brasil, o arcebispo emérito de São Paulo, cardeal Dom Paulo Evaristo Arns faleceu, aos 95 anos, nesta quarta-feira (14), às 11h45.
Ele estava internado desde 28 de novembro por causa de uma broncopneumonia. O velório de Dom Paulo será na Catedral da Sé, no centro de São Paulo, e deve durar 48 horas. Ele deve ser sepultado na cripta da catedral.
Este ano também marcou os 50 anos da ordenação de Dom Paulo como bispo e houve muita comemoração. Ao comunicar o falecimento o arcebispo de São Paulo, Dom Odilo Scherer disse que o cardeal “entregou sua vida a Deus, depois de tê-la dedicado generosamente aos irmãos neste mundo”.

A mando do presidente da CPI da Merenda, PM retira estudantes do plenário à força

Em sessão de votação do relatório final da CPI, estudantes e deputados foram agredidos pela polícia militar

violenciaPM_cpi_da_merenda3.jpg
Estudante que acompanha relatório final da CPI da Merenda é retirado com truculência da sessão de votação na Alesp

São Paulo – A repressão policial a estudantes tumultuou a sessão de encerramento da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que apura corrupção em contratos da merenda escolar no estado de São Paulo. Depois que o deputado Marcos Zerbini (PSDB), presidente da CPI, mandou tirar estudantes do plenário durante a votação do relatório final do colegiado, policiais arrastaram dois estudantes pelo pescoço e foram contidos pelos deputados José Zico Prado, Marcia Lia, João Paulo Rillo, Ana do Carmo e Teonilio Barba, todos do PT.

Após quase dez minutos de gritos e empurrões, os jovens identificados como Alerson Silva e Gabriel "Juminha" foram levados para a delegacia interna da Assembleia. Após a confusão, o plenário foi esvaziado e a sessão seguiu acompanhada apenas por jornalistas e policiais.

domingo, 11 de dezembro de 2016

Em nota, ONU chama PEC da Morte de "medida radical" que "viola obrigações do Brasil"

O site da ONU publicou nesta quinta-feira (8) uma nota em que chama a PEC 55, a chamada "PEC da Morte" ou "PEC do Fim do Mundo", de "medida radical" que colocará "toda uma geração futura em risco". O texto, com palavras duras contra a proposta do governo golpista de Michel Temer, é produzido a partir de um parecer do relator especial das Nações Unidas para extrema pobreza e direitos humanos, Philip Alston.
Confira a nota na íntegra:
Brasil: teto de 20 anos para o gasto público violará direitos humanos
Os planos do governo de congelar o gasto social no Brasil por 20 anos são inteiramente incompatíveis com as obrigações de direitos humanos do Brasil, disse nesta sexta-feira (9) o relator especial da ONU para extrema pobreza e direitos humanos, Philip Alston.
Segundo o especialista independente, o efeito principal e inevitável da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 55, elaborada para forçar um congelamento orçamentário como demonstração de prudência fiscal, será o prejuízo aos mais pobres pelas próximas décadas. A emenda deverá ser votada pelo Senado no dia 13 de dezembro.

Terceirização pode ser votada nesta terça na CCJ da Câmara


Foto: Marina Fontenele/G1
  
A proposta já foi aprovada na Câmara dos Deputados, enviada ao Senado Federal, e agora pronto para votação na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC), da Câmara dos Deputados. Somente cabe agora analisar as alterações feitas pelo Senado Federal, e depois segue para sanção presidencial.

Parecer
Está pronto para votação o parecer do relator apresentado na última sexta-feira (09/12), pelo deputado Laercio Oliveira (SD-SE), com voto pela constitucionalidade, juridicidade e técnica legislativa ao Substitutivo enviado pelo Senado Federal.

sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Dilma é a nova presidenta do Conselho da Fundação Perseu Abramo


Dilma toma posse como presidenta da Fundação Perseu Abramo


A indicação de Dilma para a presidência do conselho foi feita pelo presidente do PT, Rui Falcão, e aprovada, no mês passado, pelo Diretório Nacional da legenda.

Dilma Rousseff falou sobre a conjuntura atual do país após o golpe, as consequências dramáticas de uma possível eleição indireta, o que configuraria "o golpe dentro do golpe" e as implicações para a perda de poder pelo Estado: "quando o Estado e a política ficam irrelevantes, a direita aparece".

Publicada lei que repassa encargos do Fies para instituições de ensino

Antes da medida, pagamento dos encargos era bancado pela União. Alteração deve elevar mensalidades acima da inflação

universidades
Brasília – A lei que modifica as regras de acesso ao Programa de Financiamento Estudantil (Fies) foi publicada hoje no Diário Oficial da União (DOU), com isso, a União transfere parte dos encargos do Fies para as instituições de ensino superior privadas que participam do programa. A alteração foi feita por meio de medida provisória aprovada no mês passado pelo Congresso Nacional.
Com a entrada em vigor da nova lei, as instituições privadas de ensino superior deverão assumir a responsabilidade pelo pagamento, aos bancos, dos encargos decorrentes da concessão do financiamento estudantil. De acordo com a MP, a remuneração será de 2% sobre o valor dos encargos educacionais liberados.