Páginas

sexta-feira, 30 de outubro de 2015

RO: Congresso do Sintero discute Sistema Nacional de Educação, ensino integral e financiamento da educação

Congresso2
Temas relevantes para a valorização dos profissionais da educação e para a melhoria da qualidade do ensino público estão em discussão no segundo dia de trabalhos do 14º Congresso Estadual dos Trabalhadores em Educação, promovido pelo Sintero em Porto Velho.
O presidente do Sintero, Manoel Rodrigues da Silva, disse que o primeiro dia de atividades do Congresso foi produtivo, e espera construir, até o final do evento, o plano de lutas que vai definir as atividades do sindicato nos próximos dois anos.
As atividades desta sexta-feira, dia 30/10, tiveram início com uma palestra sobre Sistema Nacional de Educação/Perspectivas e avanços, proferida pela professora Sueli Veiga Melo, vice-presidente da FETEMS – Federação Estadual dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul.
Ela demonstrou a evolução da legislação sobre educação no Brasil a partir da Constituição de 1988. Segundo a professora, o atual sistema está bastante avançado em comparação com o que havia no país antes de 1988. “No entanto, as demandas nos mostram que o Congresso Nacional, os legislativos estaduais e municipais, bem como o Poder Executivo, nas três esferas, precisam avançar muito mais. E não basta criar leis e planos se eles não forem cumpridos”, disse.
A segunda palestra do dia foi sobre financiamento da educação pública sob a ótica do Plano Nacional de Educação, proferida pelo professor especialista Henrique Lopes do Nascimento, presidente do Sintep – Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público de Mato Grosso.
O palestrante iniciou a sua explanação destacando que o investimento em educação no Brasil é ínfimo diante da necessidade. “Não dá para comparar o ensino público no Brasil com o modelo adotado nos países desenvolvidos. Mas pelas cifras irrisórias que a União, os Estados e os Municípios brasileiros investem em educação não é de se admirar que estamos muito atrasados. É preciso aumentar o percentual constitucional destinado à educação e isso se faz aumentando o índice de investimento em relação ao PIB e utilizando recursos dos royalties do petróleo”, disse o professor.
Ainda nesta sexta-feira o 14º Congresso do Sintero terá palestra sobre os desafios dos trabalhadores em educação frente à escola de educação integral. No período da tarde serão realizadas as plenárias dos trabalhadores em educação aposentados, dos funcionários de escolas (Técnicos Educacionais), e plenária de mulheres.
As atividades do segundo dia do Congresso terminam com colóquios sobre juventude, educação indígena, saúde do trabalhador em educação e utilização de tecnologia na educação.
À noite, a partir das 19:30, será realizado na Sede Social do Sintero o 4º Encontro Gospel dos Trabalhadores em Educação, com a apresentação de bandas, grupos de louvor, grupos de dança e performances com temática religiosa.

fonte: sintero.org

domingo, 25 de outubro de 2015

Contee denuncia entrega do EJA ao Sistema S

Em recente pronunciamento, o Ministro da Educação, Aloizio Mercadante, destacou a atuação do Sistema S, que além do Pronatec, passará a atender também a educação de jovens e adultos (EJA).
Frente a essa declaração, a Contee manifesta:
MEC mais uma vez acha um jeito de compensar o Sistema S de cortes do orçamento
A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino, entidade que congrega todos os trabalhadores em educação do setor privado, frente as recentes declarações dadas pelo Ministro da Educação, denuncia que mais uma vez o MEC diante da pressão e “choradeira” do Sistema S, encontra alternativas para assegurar o repasse de verbas públicas para o Sistema. Verbas essas que frente a crise econômica estão sendo reduzidas das instituições públicas, ainda que pese o lançamento da Pátria Educadora como marca do governo.

quinta-feira, 15 de outubro de 2015

Contee reforça a importância da atuação transformadora dos trabalhadores e trabalhadoras em educação

O dia 15 de outubro, conhecido como Dia do Professor, é comemorado pela Contee e entidades filiadas como Dia da(o) Trabalhadora(or) em Educação,  um momento de pausa para analisarmos e recarregarmos nossas baterias,  pois muita luta ainda precisa ser travada por respeito e valorização profissional.

No entanto, a certeza de que somos imprescindíveis e insubstituíveis nos dá a energia necessária pra essa luta diária.  E como disse Paulo Freire, “Se a educação sozinha não transforma a sociedade, sem ela tampouco  a sociedade muda”.

Foi com muita festa e comemoração que o mês de outubro foi celebrado. Confira as atividades ao redor do país:
Nossa luta continua sendo travada por respeito, valorização profissional e mais conquistas. No dia de hoje, a Contee reforça a importância da atuação transformadora dos trabalhadores e trabalhadoras em educação. Parabéns!

fonte: contee.org

Parlamentar, tome partido! Educadores preparam ato nacional no Congresso


mobilizacao 11 novembro post facebook final

No dia 11 de novembro, cerca de 1500 educadores de todo o Brasil, representando os sindicatos filiados à CNTE, participam de Ato no Congresso Nacional, em Brasília, em defesa da educação pública de qualidade.
As pautas prioritárias dos/as trabalhadores/as em educação, neste momento, e em nível nacional, são: a manutenção do critério de reajuste do piso do magistério de acordo com a Lei 11.738; a instituição do piso salarial e das diretrizes nacionais de carreira para todos os profissionais da educação – entrega dos anteprojetos de lei da CNTE ao Poder Executivo; contra a Lei da Mordaça – PL 867/2015; contra a Terceirização – PL 4.330/04 e PLC 30/15; pela aprovação da Lei de Responsabilidade Educacional – PL 8.039/10; pela aprovação do PL 2.142/2011, que autoriza os IFES a ofertarem cursos do Profuncionário e similares; e contra o PL 6.726/13 e o PLS 131/15, que reduzem os recursos dos royalties do petróleo e do Fundo Social para a educação e a saúde.

quarta-feira, 7 de outubro de 2015

BAIXE AGORA MESMO! Livro: Um Rio de Mulheres - A participação das fluminenses na história do estado Rio de Janeiro

 

 http://www.mulher500.org.br/publicacoes/pdfs/publicacao_rio_de_mulheres.pdf

"Com o propósito de contribuir , a REDEH – Rede de Desenvolvimento Humano começou a formar e disponibilizar um amplo acervo sobre a atuação feminina na história do país. Desde 1997, vem realizando um projeto de pesquisa sobre os mais diferentes temas relacionados ao passado das brasileiras. Como primeiro resultado desta iniciativa, publicou o Dicionário Mulheres do Brasil, lançado nacionalmente a partir de outubro de 2000. Um Rio de Mulheres faz parte dos desdobramentos deste referido projeto, que produzirá uma série com mais vinte e seis publicações, contemplando, assim, a atuação feminina em cada umdos estados brasileiros.

Como já esperávamos, começar pelo Rio de Janeiro representou um desafi o maior, considerando que, durante mais de dois séculos, este estado foi o principal cenário dos acontecimentos políticos, sociais
e culturais do país. 

O principal objetivo foi traçar um panorama histórico enfocando as mulheres fluminenses, desde os tempos coloniais até os dias de hoje. A partir de um roteiro de pesquisa específica, nos propusemos relatar, mesmo que em síntese, diversas trajetórias femininas. Sem buscar compreendê-las como seres excepcionais, inserimo-las em seus respectivos contextos. Muito embora algumas tenham sido e ou protagonistas de feitos extraordinários, não foram as únicas. A grande maioria viveu – várias ainda vivem – como tantas outras anônimas. São mulheres índias, brancas e negras, que por diferentes maneiras, intencionalmente ou não, ajudaram a preparar o terreno social para que, a cada novo período da história do estado do Rio de Janeiro, um número maior delas pudessem coexistir em melhores condições.

Para viabilizar a edição de Um Rio de Mulheres contamos com as parcerias da Fundação Avina e Boticário, que, como nós, reconheceram a importância de disponibilizar aos formadores de opinião os feitos e fatos das mulheres na história fluminense. "

SCHUMA SCHUMAHER E ÉRICO VITAL BRAZIL
MARÇO DE 2003
de Mulheres

Schumaher, Schuma. Um Rio de Mulheres: a participação das fluminenses na história do Estado do Rio de Janeiro / Schuma Schumaher e Érico Vital Brazil. - Rio de Janeiro : REDEH, 2003. 100p. Il.

sexta-feira, 2 de outubro de 2015

CNTE abraça a causa do Movimento Outubro Rosa



A CNTE, que representa mais de 2,5 milhões de trabalhadores da educação básica no país, reconhece a importância do Movimento Outubro Rosa, que quer estimular a prática do exame preventivo anual contra o câncer de mama. De acordo com dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), as mulheres representam mais de 80% dos docentes da Educação Básica brasileira. Em nome das mulheres da educação por ela representadas, a CNTE convoca as entidades filiadas a divulgar a iniciativa.

CUT divulga atos no dia 3 de outubro em todo o País

A Central Única dos Trabalhadores (CUT) divulga em seu portal os atos que já estão marcados para ocorrer no sábado, dia 3 de outubro, que fazem parte do Dia Nacional de Mobilização em Defesa da Petrobras. A lista está sendo atualizada constantemente. Abaixo a relação dos eventos inseridos até às 11h45 de quarta-feira (30/9).

Contee repudia em nota preconceito em Santa Catarina

A Contee lança nota nacional de repúdio ao preconceito e discriminação manifestados pela Confenen e Sinepe Catarinense ao tratar da Lei 13.146/2015 (Lei Brasileira de Inclusão) e recebe amplo apoio de diversas entidades nacionais.

A Confederação orienta que todas as entidades filiadas compartilhem e assinem a nota.Vamos juntos lutar por uma educação inclusiva, não preconceituosa e excludente.