Páginas

domingo, 29 de março de 2015

Moção de apoio à greve do Sinte-SC

nota publica
A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação - CNTE, entidade representativa de mais de 2,5 milhões de profissionais da educação básica pública no Brasil, vem a público manifestar seu incondicional apoio à greve dos/as trabalhadores/as da educação da rede pública de ensino do Estado de Santa Catarina.

A CNTE defende a educação pública como direito inalienável da população brasileira. Para tanto, os governos precisam assumir suas responsabilidades, respeitando e valorizando trabalhadoras e trabalhadores que lutam diariamente pela construção de uma escola digna.

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação da Rede Pública de Ensino do Estado de Santa Catarina – SINTE-SC, assume seu papel de defesa dos interesses da educação e dos direitos de seus trabalhadores. Essa responsabilidade enquanto entidade representativa de uma categoria de profissionais levou à greve que exige pagamento do reajuste integral do piso na carreira, não a incorporação da regência, contra a meritocracia incluída na proposta de pagamento do “incentivo sala de aula”, manutenção dos níveis de Ensino Médio e Licenciatura Curta na tabela salarial, com paridade entre ativos e aposentado, rejeição da MP 198 (fixa a remuneração básica do professor admitido em caráter temporário) e revisão da Lei 456 (admissão de pessoal por prazo determinado), reversão das demissões e o fim dos casos de perseguições, assédio e processos administrativos contra lideranças sindicais.

A CNTE endossa as exigências dos/as trabalhadores/as de Santa Catarina. A educação é um bem público, um direito a que todas e todos devem ter acesso. E o respeito pelos seus trabalhadores é item fundamental para a valorização do processo educativo conforme prevê a legislação e o exercício da justiça.

fonte: CNTE

domingo, 22 de março de 2015

Sociólogos se reúnem em Belém para discutir criação de federação



Foi realizada em 14 e 15 de março de 2015, no salão Granada, no Hotel Beira Rio, na cidade de Belém, estado do Pará, um Encontro Nacional de Sociólogos com o objetivo de reorganizar a Federação dos Sociólogos do Brasil, atendendo a convocação do SINDSERJ, que foi encarregado em encontro realizado no Rio de Janeiro, no dia 8 de novembro de 2014, pelas entidades sindicais dos sociólogos presentes, de organizar esse encontro com o objetivo de incluir os sindicatos das regiões Norte e Nordeste na discussão sobre aprovação de uma agenda voltada para a fundação da Federação Nacional dos Sociólogos.
Nessa reunião de Belém, foi ratificada a indicação da cidade do Rio de Janeiro para local de fundação a Federação Nacional dos Sociólogos, em 18 de julho de 2015, quando, se deliberou pela/o:
1.    a fundação da Federação Nacional dos Sociólogos, como entidade federativa sindical dos sociólogos, na data de 18 de julho de 2015, na cidade do Rio de Janeiro;
2.      envio de indicação de até três nomes por entidade sindical, com diretoria em exercício, através de ofício da entidade, assinado pela pessoa que represente juridicamente o sindicato (presidente/ coordenador) com firma reconhecida em cartório e com os documentos em anexo, registrados em cartório, contendo o registro do mandato da diretoria e da fundação da entidade;
3.    30 de março de 2015, término do prazo do encaminhamento dos nomes indicados pelas entidades sindicais dos sociólogos nas unidades federativas da união;
4.     os documentos deverão ser enviados à sede do SINDSERJ/ Rio de Janeiro, no prazo estipulado acima;
5.    as entidades sindicais dos sociólogos em exercício, que não estiveram presentes na reunião do Pará, de forma geral e irrestrita, poderão enviar os três nomes para integrarem a comissão que irá convocar a assembléia extraordinária de fundação da FNS na cidade do Rio de Janeiro;
6.   eleição de uma comissão organizadora da assembleia de fundação, formada pelos    representantes dos sindicatos de sociólogos do Brasil.



terça-feira, 17 de março de 2015

Juiz e procurador do Trabalho atestam inconstitucionalidade das MPs 664 e 665

As Medidas Provisórias (MPs) 664 e 665, que retiram direitos dos trabalhadores, estão na pauta de hoje das comissões mistas que as analisam e sua inconstitucionalidade já foi escancarada em texto escrito pelo procurador do Trabalho de Santa Catarina Sandro Sardá e pelo juiz titular da 6ª Vara do Trabalho de Ribeirão Preto (SP), José Antônio Ribeiro. Leia abaixo as considerações, com especial atenção sobre a realização de perícia previdenciária por empresa privada. Segundo eles, a “flagrante inconstitucionalidade da previsão contida na Medida Provisória 664/14 não causa espécie somente pela impossibilidade formal de  delegação, a entidade privada, de atividade típica de Estado, mas também pela absoluta inconveniência de realização de perícias por empresas que, na grande maioria das vezes, são direta e deliberadamente responsáveis pelos agravos à saúde gerados nos trabalhadores e trabalhadoras, o que viola de forma flagrante os princípios da moralidade e da eficiência da administração pública”.

Apontamentos sobre a redução de direitos previdenciários (MP 664/14) e ao seguro-desemprego (MP 665/14) – ou: nunca uma vaca tossiu tão alto e de forma tão inconstitucional


Leia aqui também as considerações do Fórum Nacional de Saúde do Trabalhador das Centrais Sindicais sobre as MPs 664 e 665.

fonte: CONTEE

EUA prepara o bote na América do Sul

A lista é impressionante: Iraque, Afeganistão, Líbia e Síria. Em menos de 15 anos, os quatro países se transformaram em Estados zumbis. É algo muito grave, a indicar a direção para onde aponta a política expansionista dos Estados Unidos no século XXI.

 
Com o fim da Guera Fria, deixaram de ter qualquer anteparo para sua estratégia de fazer tombar todos os governos que signifiquem ameaça ao controle do petróleo no Oriente Médio (ou em outras partes do planeta).

Saddam Hussein (Iraque) não era um santo. Todos sabemos. Muamar Gadafi (Líbia), tampouco. Os dois, ao lado da família Assad na Síria, faziam parte de um movimento (o nacionalismo árabe) a significar um grito de independência desses países – que, no passado, haviam estado sob domínio turco ou europeu.

sexta-feira, 13 de março de 2015

Movimentos sociais se reúnem na Cinelândia para defender a Petrobrás, o Brasil e a Democracia



Quase 10 mil pessoas se manifestaram, dia 13/3, na Cinelândia em favor da Petrobrás e da Democracia, convocados pela CUT, FUP, CTB e MST. O ato contou com a participação de sindicalistas, integrantes do MST e partidos de esquerda.
Ato na Cinelândia, Rio de Janeiro, RJ, 13.3.2015


Por todo o Brasil o povo diz não ao golpe, em SP foram 60 mil


Milhares de pessoas foram às ruas nesta sexta-feira (13), em todos os estados do país e no DF, para defender a democracia. Na cidade de São Paulo nem mesmo a forte chuva que caiu abalou os que chegavam à Avenida Paulista, palco de grandes atos políticos. Cerca de 60 mil manifestantes defenderam a Petrobras e a legalidade constitucional do mandato de Dilma Rousseff.


sexta-feira, 6 de março de 2015

Sinpro-Rio se prepara para o Ato em Defesa da Soberania Nacional

fotoOcorreu na noite de ontem, 02/03, na sede do Sinpro-Rio uma reunião, convocada pelo Ex-Ministro Roberto Amaral, com caráter suprapartidário, para discutir a conjuntura e debater a sustentação do Governo Dilma. Parlamentares, intelectuais, lideranças políticas e sindicais debateram a melhor forma de organizar o ato em defesa da soberania nacional no dia 13/3.

Assista o depoimento de Jandira Feghali, deputada federal (PCdoB) clicando aqui

fonte: sinpro-rio 

segunda-feira, 2 de março de 2015

Cursos de Março

SinproRio convida...

:: Cursos de Espanhol, Francês, Inglês e Italiano
Dia: Início em 2 de março
Locais: Sede e Subsede Barra
:: Palestra "Direitos da mulher: Uma história de dominação e lutas"
Dia: 9 de março (segunda-feira), às 19h
Local: Sede - Centro (auditório do 2ºandar)
:: Oficina "Oficina literária"
Dia: Início em 10 de março (terça-feira), de 9h30 às 12h
Local: Sede - Centro
:: Palestra "O professor e os desafios do século XXI - Bullying e Cyberbullying"
Dia: 28 de março (sábado), de 10h às 12h
Local: Subsede Campo Grande
Mais informações: 3262-3440

VIII Seminário Internacional - UERJ


UERJ realiza seu VIII Seminário Internacional, de 08 a 11 de junho, com o tema
As Redes Educativas e as Tecnologias: Movimentos Sociais e Educação.
As inscrições de trabalhos vão até o dia 13 de abril.
Para maiores informações, acesse o link