Páginas

segunda-feira, 12 de fevereiro de 2018

O contrato entre Fundação Roberto Marinho e Educação do Rio

Acordo de R$ 67 milhões por doze meses, que dispensando licitação, levanta dúvidas quanto ao efetivo custo/benefício 
censo-escolar-2017-940x626.jpg

Acho engraçada a Rede Globo. Quando algum município realiza ato de inexibilidade (de dispensa de licitação) completamente dentro da Lei, principalmente comprovando a economicidade para o município, como no caso da venda de sistema de ensino onde o material, capacitação, formação continuada, acesso a ferramentas informatizadas e palestras saem pelo preço médio de 450,00 aluno/ano, a Globo é a primeira a levantar alguma suspeita, como se tivesse algo errado, independentemente se a empresa em questão tem números que mostram o sucesso do projeto, como ter 100% de seus clientes acima da média do IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), superando metas estabelecidas para 2021 já no ano de 2016. 
 
A Fundação Roberto Marinho, fez um contrato com a secretaria de educação do estado do Rio de Janeiro no valor total de R$ 67,41 milhões, para atender 36 mil alunos durante 12 meses, com custo médio de R$ 1.872,00 aluno/ano, onde somente em material pedagógico foram gastos R$ 24,92 milhões. 
 
Dai a minha pergunta? Quais os resultados efetivos que esses alunos tiveram? Gasta-se a bagatela de R$ 67 milhões para correção de fluxo, enquanto os sistemas pedagógicos visam melhorar a qualidade do ensino e formar os alunos com o mesmo ensino oferecido nas redes particulares, com isso evitando ter que fazer tal correção no fluxo de aprendizagem.
 
Segue, em anexo, o processo completo de inexibilidade entre a Fundação Roberto Marinho e a Secretaria de Educação do Estado do Rio de Janeiro.  
 
Será que algum deputado estadual ou Ministério Público vai querer processar a Fundação Roberto Marinho? 
 

contrato_globo_secretaria_educacao.jpg
fonte: jornalggn.com

Frente Brasil Popular: Construir um grande Dia Nacional de Luta em defesa da aposentadoria

A Frente Brasil Popular, organização que reúne entidades do movimentos sindical e popular de todo o país, encampa uma mobilização nacional em defesa da aposentadoria que vai ocupar as ruas do Brasil no próximo dia 19 de fevereiro.
Em nota oficial, defendeu o estado democrático de direito e denunciou as mazelas da reforma que penaliza os mais pobres. Leia na íntegra:
Desde o ano passado o governo golpista de Michel Temer e sua base aliada ameaça o povo brasileiro com o fim da aposentadoria.
A cada tentativa de entrada na pauta, os trabalhadores e trabalhadoras impuseram uma derrota àqueles que querem pagar a fatura do golpe com a reforma da previdência e a retirada de direitos. Construímos junto com as centrais sindicais na maior greve geral da nossa história com a bandeira da defesa da aposentadoria.
E vamos derrotá-los novamente. Para isso, é preciso continuar fazendo ações de panfletagens, plenárias, debates, brigadas em todos os bairros sobre a campanha de em defesa da aposentadoria.
A medida resultará no desmonte da seguridade social e num estímulo ao crescimento da previdência privada, deixando a sociedade refém dos bancos num pacto dos golpistas com o capital financeiro.
Michel Temer mente dizendo que a reforma é necessária para acabar com o déficit previdenciário. As mudanças propostas  aumentarão o tempo de contribuição, a idade mínima para aposentadoria, acabará com a aposentadoria especial dos professores e funcionários públicos, dos trabalhadores rurais, etc.
Aumentar o tempo de aposentadoria significa que os moradores das periferias das grandes cidades e de diversas cidades do norte e do nordeste trabalharão até morrer, visto que a expectativa de vida nesses locais é de até 58 anos.
No dia 19 de fevereiro, vamos ocupar as ruas, praças, locais de trabalho, escolas, universidades e redes para derrotar mais uma vez a agenda de retirada de direitos e ataques ao Estado Democrático de Direito.
fonte: Frente Brasil Popular

terça-feira, 6 de fevereiro de 2018

Contra a Reforma da Previdência, CTB ocupa aeroportos de 5 capitais em defesa da aposentadoria

Com o objetivo de denunciar os efeitos da proposta que reforma a Previdência Social e reafirmar sua luta em defesa da aposentadoria, a CTB ocupou nas primeiras horas da manhã, desta terça-feira (6), os aeroportos de cinco capitais do país (Rio de Jeneiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Vitória e Bahia).
O objativod a ação é pressionar os parlamentares em suas bases eleitorais e barrar a votação da reforma que pode acabar com o maior programa de distribuição de renda do país. "O objetivo é denunciar à sociedade a crueldade da proposta que visa acabar com a aposentadoria dos trabalhadores", externou a presidenta da CTB Minas Gerais, Valéria Morato.
19 de Fevereiro
Compondo a agenda da JORNADA DE LUTA, a CTB orientou toda a sua base a entrar em estado de alerta permanente e reforçar a mobilização e resistência no dia 19 de fevereiro quando ocorrerá DIA NACIONAL DE LUTA em todo o país.
"Unidade e resistência nesta etapa será fundamental. A CTB orienta seus sindicatos, federações e confederações construir ampla JORNADA DE LUTA com a realização de  assembleias, plenárias regionais e estaduais, panfletagens, blitz nos aeroportos e reforçar, no estados, a pressão nas bases dos parlamentares", conclamou o presidente nacional da CTB, Adilson Araújo.
Acompanhe a luta nesta terça (6):

CTB Rio Grande do Sul

  
CTB Espírito Santo

CTB Rio de Janeiro

CTB Minas
fonte: Portal CTB

sábado, 3 de fevereiro de 2018

Informalidade e desemprego recorde marcam projeto de 'retomada' de Temer



O avanço da informalidade e os índices de desemprego recorde são a base para o projeto de 'retomada' empreendido por Michel Temer. A chamada "ponte para o futuro" se converteu em uma passagem, só de ida até aqui, para um Brasil cada vez mais desigual e onde o que impera é o medo, a fome e a miséria.

A propaganda que foi alardeada em toda a mídia neste mês de janeiro, na qual o governo comemorou uma suposta "recuperação" para o mercado de trabalho em 2017, esconde o avanço do emprego informal, uma remuneração menor e o subemprego.
Vamos aos números
Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad-C), divulgada nesta quarta-feira (31) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), comprova que o governo tergiversa sobre a tal "recuperação". O estudo revela que, no trimestre encerrado em dezembro, a taxa média de desemprego foi de 11,8% (12,3 milhões de desempregados), estável em relação igual período do ano anterior (12%). Ou seja, são 1,8 milhão de ocupações a mais em 12 meses, só que nenhuma com carteira assinada. 
Já a média do ano registrou a maior taxa de desemprego da série histórica, iniciada em 2012: 12,7%.
Foi em 2014 que o mercado de trabalho brasileiro registrou os menores níveis de desocupação desde o início da série da pesquisa (2012). No confronto de 2017 com o ano anterior, verificou-se o aumento de 1,5 milhão no contingente de desocupados. Embora este acréscimo fosse inferior ao observado na comparação de 2015 com 2016 (3,2milhões), verificou-se que a desocupação continuou a crescer.
Quantos postos de trabalho fechado?
O IBGE também apontou que, consideradas as médias anuais, o país fechou 2017 com 13,2 milhões de desempregados, quase 6,5 milhões a mais em relação a 2014, crescimento de 96,2%.
A taxa de desemprego passou de 6,8% para 12,7%. O número de trabalhadores com carteira assinada caiu, nesse período, de 36,6 milhões para 33,3 milhões, ou menos 3,3 milhões. Apenas no ano passado, a perda foi de quase 1 milhão de vagas formais.
Por segmento, as atividades que mais perderam empregos nos últimos três anos foram:
  • Agricultura (-10,4%)
  • Indústria (-11,5%)
  • Construção (-12,3%). 
Portal CTB - Com informações das agências

Justiça determina o fim da greve dos servidores da Educação em Cabo Frio, no RJ

Liminar assinada nesta sexta-feira (2) pede que as atividades retornem no prazo de 24h. O descumprimento pode gerar multa diária de R$ 10 mil para o sindicato.


Justiça determinou em um documento assinado nesta sexta-feira (2), que os servidores da Educação de Cabo Frio, na Região dos Lagos do Rio, retornem às atividades no prazo de 24h. Caso a medida seja descumprida, o Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação do Estado do Rio (núcleo Sepe Lagos) terá que pagar multa de R$ 10 mil por dia.


As aulas estavam programadas para começar nesta quinta-feira (1°) mas parte de estudantes ficou sem aula no primeiro dia de reposição do ano letivo de 2017 na cidade. Os professores decidiram entrar novamente em greve para reivindicar pagamentos atrasados durante uma assembleia realizada na quarta (31).


O documento da Justiça aponta que a greve no serviço público prejudica os interesses da população que precisa dos serviços. Por isso, há a necessidade de manter a prestação dos serviços essenciais do interesse público.


Outro trecho da liminar diz que a greve dos servidores da educação, com prazo indeterminado ou não, causa danos graves à população, inclusive o risco da perda do ano letivo. E que foi analisada a aplicaçao da lei nº 7.783/89 neste caso específico do direito de greve dos servidores públicos e foi pontuado que cabe a Justiça decidir no caso por ser uma greve que afeta a vida dos cidadãos.


O documento assinado pelo presidente do Tribunal de Justiça, Milton Fernandes de Souza, diz:


"Pelo exposto, defiro a tutela de urgência liminarmente para determinar o retorno dos profissionais de ensino às suas atividades, no prazo de 24 horas, sob pena de multa diária de R$ 10 mil a ser suportado pelo Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação no Estado do Rio de Janeiro - Núcleo Sepe/Lagos, mantendo-se, dessa forma, a continuidade do serviço público".

fonte: g1.globo.com

terça-feira, 30 de janeiro de 2018

Brasil em crise: pesquisa mostra que medo do desemprego explode e atinge 65,7%

Pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI) mostra que o índice de medo do desemprego no setor industrial atinge 65,7 pontos. O índice está a 16,9 pontos acima da média histórica (48,8 pontos) e se encontra entre os maiores valores da série.
Em comparação com dezembro de 2016, o índice de medo do desemprego apresentou alta de 0,9 ponto, indicando persistência da insegurança em relação à recuperação do mercado de trabalho.
Satisfação com a vida
A pesquisa também avaliou os índices de satisfação com a vida. De acordo com o estudo a satifação do brasileiro com a sua vida variou entre 2014 e 2017 8,2 pontos, ficando abaixo da média histórica (69,9).
fonte: Portal CTB - Com informações da CNI

Secretaria de Educação do RJ abre sindicância para apurar desperdício de livros no Rio

Vídeo mostra os livros se estragando em um contêiner no pátio de uma escola em Vila Isabel. O descarte de material didático novo é proibido.


A Secretaria Estadual de Educação do Rio de Janeiro disse que vai abrir uma sindicância para apurar o desperdício de livros. Um vídeo do flagrante de dezenas de livros didáticos novos, jogados num contêiner, foi mostrado na segunda-feira (29), no Bom Dia Rio.
Os livros estavam num contêiner, no pátio da Escola Estadual João Alfredo, em Vila Isabel, na Zona Norte. Apesar de serem de anos anteriores, os livros estavam novos, ainda na embalagem e estavam encharcados, já que ficam expostos às chuvas.
A Secretaria de Educação disse que o descarte de material didático é proibido e que o material deveria ter sido doado.
fonte: g1.globo.com